Google+

18 de mai de 2010

Não bata. Eduque!

Mais do que uma frase, um apelo, trata-se de uma rede formada por instituições e pessoas físicas - atua como movimento social com o objetivo de erradicar os castigos físicos e humilhantes e estimular uma relação familiar respeitosa que garanta o direito das crianças à integridade física e psicológica e a seu pleno desenvolvimento como ser humano e como cidadão.


Clique aqui e conheça mais sobre os objetivos e linhas de ação dessa rede.

O que são castigos físicos e humilhantes?
É uma forma de violência aplicada por uma pessoa adulta com a intenção de disciplinar para corrigir ou modificar uma conduta indesejável. É o uso da força causando dor física ou emocional à criança ou adolescente agredido. É uma forma de violência contra a criança e uma violação de seu direito à dignidade e integridade física.

  • Palmadas
  • Beliscões
  • Tapinhas na mão
  • Pontapés
  • Puxão de cabelo
  • Rejeição ou desqualificação da criança ou do adolescente
  • Bater com a mão ou com um objeto (vara, cinto, chicote, sapato, fios)
  • Xingamentos, humilhações
  • Castigos excessivos, recriminações, culpabilização
  • Ameaças
  • Uso da criança como intermediário de desqualificações mutuas entre os pais em processo de separação
  • Responsabilidades excessivas para a idade
  • Sacudir ou empurrar a criança
  • Clima de violência entre os pais e de descarga emocional em cima da criança
  • Obrigá-la a permanecer em posições incômodas ou indecorosas
  • Obrigá-la a fazer exercícios físicos excessivos.
  • Surras
  • Chacoalhar a criança
Assista ao vídeo da campanha


3 comentários:

  1. Oi!

    Somos fruto de uma geração que ficou perdida entre a educação que era autoritária e cheia de castigos físicos, e o pensamento "power flower", que pensa em não necessitar de autoridade para criar uma criança, às vezes confundindo autoridade com autoritarismo.

    O respeito é fruto das relações estabelecidas e muitas vezes há pais que se perdem entre o pensamento de que se impuserem limites as crianças serão podadas em sua criatividade ou o temor de que poderão perder o carinho e a admiração de seus filhos.

    Só que as crianças são inteligentes e sabem como jogar com nossa indecisão. Sabem manipular e nos conhecem tão bem que sabem chegar "direto ao ponto", quando querem.

    Saber dosar diálogo, limites e um "colocar para pensar" não nos torna monstros, mas também precisamos aprender bastante sobre como colocar esses limites duma maneira respeitosa, pra não repetirmos modelos agressivos nem liberais em excesso.

    Tem momentos em que nos sentimos verdadeiros bruxos e bruxas, mas precisamos ir além dos temores e pensar que o mundo não fará todas as vontades das crianças. E que elas não são nossos brinquedinhos também.

    A leitura, a busca pelo equilíbrio e aprender com os exemplos que temos pode ser uma excelente alternativa... Não é à toa que Supernanny faz tanto sucesso, não é mesmo?!

    beijo,
    ingrid

    ResponderExcluir
  2. o que passa na cabeça de um adulto de se aproveitar e judiar de uma criança que nem defesa propria tem?

    ResponderExcluir
  3. Denise, fazendo pesquisa sobre o seu tema , encontrei seu blog e gostei muito, voltarei mais vezes. Estou linkando, ok.

    Abraço

    ResponderExcluir

LinkWithin

Blog Widget by LinkWithin