Google+

15 de abr de 2013

Abril é o mês da leitura. Dicas para estimular as crianças a ler.


 A leitura é algo extremamente importante à população, mas que acabou perdendo espaço para os novos aparelhos eletrônicos. Não apenas no setor educativo, mas também na área de lazer, os livros são muitas vezes substituídos, em grande parte pelo público jovem – por videogames e computadores, por exemplo. O dia 18 de abril é dedicado à comemoração do Dia Nacional do Livro Infantil - a data ressalta a relevância da atividade, além de homenagear um grande nome da nossa literatura: Monteiro Lobato, criador do Sítio do Pica Pau Amarelo.



O papel dos pais é essencial na adoção da leitura na vida dos pequenos, já que os responsáveis são tomados como exemplo. Portanto, o modo como adotam a leitura em seu dia a dia é indiretamente absorvido pelas crianças. Segundo a psicopedagoga clínica Ana Cássia Maturano, deve ficar claro a elas que essa atividade precisa ter sempre um caráter prazeroso - e nunca ser relacionada a um castigo, para que a criança não entenda essa prática como uma punição.

Não importa a idade dos filhos, a leitura deve ser por eles exercida. Porém há livros destinados a específicas faixas etárias, e isso deve ser devidamente ressaltado aos responsáveis. Quando muito novos, os filhos podem precisar da participação ativa dos pais, no momento em que estes reservam á leitura – para melhor interação entre ambos e o conteúdo exposto na história.

Elizabeth Duarte é coordenadora do ensino fundamental I do Colégio Nossa Senhora do Morumbi, em São Paulo. Acostumada a trabalhar com iniciação à leitura de crianças, ela sugere algumas dicas quanto ao material adequado a cada período da infância. Entre um ano e três é interessante incluir entre os brinquedos livros de papelão, plástico ou pano, contendo gravuras que permitirão a criança explorar o ambiente pelo tato. Dos três aos seis, os livros só com imagens e enredos curtos são os mais indicados, “O enredo deve conter humor e mistério, com repetição dos elementos para a manutenção de sua atenção, permitindo à criança estabelecer uma conexão entre o mundo real e o mundo da palavra, que nomeia o real”, explica a especialista.

Dos seis aos oito anos a criança inicia a aprendizagem formal da escrita, mas esse fato não pode interferir na leitura dos pequenos. Segundo Ana Cássia Maturano, a imagem ainda é algo essencial para essa idade e deve estar presente como ferramenta para ajudá-los a entender o texto. É aos dez anos que deve surgir o estímulo á relação dinâmica entre o verbal e o visual. Dos dez aos doze, a criança já tem maior conhecimento da escrita e a imagem torna-se dispensável – a adoção de textos mais densos, maiores e com linguagens mais elaboradas, é favorável.

A partir dos 12 anos, os filhos passam a ser considerados pré-adolescentes; capazes de estabelecer um aprofundamento nas leituras. Além de conseguirem formular reflexões e críticas a respeito de diversos assuntos abordados. Para que esse desenvolvimento intelectual dos filhos ocorra é preciso que desde pequenos seja criado pelos responsáveis o hábito de leitura neles.

“Um adolescente que foi estimulado durante sua vida para o exercício da leitura, que frequentou livrarias e bienais, de uma maneira positiva, não terá dificuldade em saber o que ler, não só por seus interesses, mas por já estar habituado a atividades do gênero”, resume a educadora Elizabeth Duarte, do Colégio Nossa Senhora do Morumbi.


Ana Cássia Maturano, psicóloga e psicopedagoga clínica, colunista de Educação do G1
Clínica: Edificio Morumbi Medical Center Rua José Janarelli, 199, cj 126
Email: cmaturano@hotmail.com

Nenhum comentário:

Postar um comentário

LinkWithin

Blog Widget by LinkWithin