Google+

23 de mai de 2014

Pais X Educação

O perfil e comportamento do ser humano não param de mudar. Isso vem desde o início dos tempos e tem se acentuado especialmente no século XXI. Excesso de informação, avanço da tecnologia e internet cada vez mais presente no cotidiano são alguns fatores que fazem com que muitas pessoas, especialmente pais e mães, deixem de lado a importância do olho no olho, diálogo saudável, mais cuidado e os preciosos 15 minutos de atenção com os filhos.



Educadores afirmam que mais vale o mínimo tempo dedicado com qualidade, do que a quantidades de horas disponibilizadas sem qualidade, sem a presença, literalmente, dos pais na participação da vida e educação dos filhos.

Para Sueli Conte, Diretora e Psicopedagoga do Colégio Renovação, escola tradicional com 30 anos de atuação, que oferece desde a Educação Infantil até o Ensino Médio, localizada na zona Sul de São Paulo, a qualidade do processo ensino-aprendizagem também conta com a participação da família.

“Quando os pais estimulam o aprendizado e participam da vida escolar, os alunos tendem a obter notas melhores, aceitam novos desafios e têm um processo de adaptação mais adequado. Neste contexto a aprendizagem configura-se em um universo participativo onde acertos e erros estimulam o aluno a ampliar suas habilidades e competências”, conta a educadora. 
Para discorrer deste tema, Sueli Conte elenca algumas sugestões importantes para os pais adotarem em casa e que podem ajudar no dia a dia mais produtivo e saudável para pais e filhos:
  • Mostre entusiasmo e segurança ao deixar seu filho na escola. Ressalte que ele irá encontrar outras crianças com quem poderá aprender coisas novas; 
  • Esforce-se para transmitir segurança a seu filho; 
  • Entenda como a escola estimula seu filho e o que esperar em cada fase de seu desenvolvimento. Acompanhe cada etapa de perto; 
  • Reconheça e valorize cada conquista de autonomia de seu filho. Nunca o reprima ou castigue em caso de falha ou regressão; 
  • Respeite o ritmo de seu filho. Não o compare com irmãos ou amigos; 
  • Esteja presente e participe das reuniões de pais; 
  • Vá às atividades extraclasse, como palestras, por exemplo; 
  • Valorize e respeite a escola, os professores e os funcionários. É importante que o filho perceba este ato; 
  • Crie uma rotina também em casa. Mantenha um horário regular para seu filho se alimentar, tomar banho e ir para a cama; 
  • Leia a agenda de seu filho diariamente, participe!; 
  • Converse sobre o dia dele, sem enchê-lo de perguntas. Deixe que ele conte o que quiser e siga com a conversa a partir das situações reveladas; 
  • Conte as suas experiências escolares e vivências diárias de maneira que elas façam sentido para o universo dele; 
  • Coloque um quadro de recados em casa e anote mensagens; 
  • A premissa básica de uma família aprendente é dar o exemplo. Não faz sentido um pai esperar que seu filho tenha interesse pela leitura se ele mesmo não tiver; 
  • Sempre que ler algo interessante em um livro ou uma revista, compartilhe com seu filho e convide-o a ler junto; 
  • Comente com seu filho sobre o livro que você está lendo, isso poderá incentivá-lo a leitura; 
  • Fiquem sócios de bibliotecas próximas de casa; 
  • Autonomia não significa abandono; 
  • Lembre-se de que acompanhar a vida escolar do filho, mesmo quando ele já é bastante autônomo, não significa “pagar mico”; 
  • Ensine seu filho a separar o material para as aulas e a deixar a mochila pronta com antecedência; 
  • Converse sobre o que ele achou dos novos professores e mostre que é possível lidar com os diferentes perfis, do mesmo jeito como ele lida com amigos distintos; 
  • Não negocie o inegociável.

A partir disto surgem dificuldades ou problemas de aprendizagem? Aí reside uma questão que muitas vezes não sabemos separar. A dificuldade está mais próxima do momento. O problema tem um caráter mais global. Quando confundimos estas situações deixamos nossos filhos/alunos confusos também. O processo fica mais fácil quando:


  • Em contato com Coordenação e/ou professores busca-se entender (sem justificar) em qual lugar o aluno se encontra; 
  • A partir desta localização, intervenções ocorrerão para que o aluno progrida em seu processo; 
  • Se há uma persistência no estado apontado, outros especialistas serão fundamentais para os avanços que o aluno possa ter.

A Diretora e Psicopedagoga, Sueli Conte, finaliza ressaltando que é importante frisar que a paciência, confiança e firmeza neste processo fortalecem o aluno na busca de novas oportunidades.


Sueli Conte é Diretora e Psicopedagoga do Colégio Renovação

Nenhum comentário:

Postar um comentário

LinkWithin

Blog Widget by LinkWithin