Google+

09/07/2008

Calendário de vacinação infantil

Vacinar seu filho é mais do sua responsabilidade é um gesto de amor. As vacinas protegem contra doenças que nem sempre tem cura, além disso é um método mais barato do que os medicamentos que serão usados no caso das doenças. Outro aspecto importante as vacinas contribuem para que os microorganismos não fiquem resistentes aos antibióticos.



Como funciona?
A vacina é feita com os microorganismos causadores da própria doença, mas enfraquecidos, o que impossibilita o ataque, mas faz com que o organismo produza anticorpos para combater aquele problema.


Quando tomar?
A Sociedade Brasileira de Pediatria (2007) recomenda algumas vacinas, a maioria gratuitas, podem ser tomadas no posto de saúde.


Ao nascer
  • BCG-ID - dose única: Contra as formas graves de Tuberculose. É oferecida às crianças com no mínimo 2 quilos, logo após o nascimento e em dose única. A OMS (Organização Mundial da Saúde) não recomenda a revacinação da BCG.
  • Hepatite B - 1ª dose: Contra a Hepatite B. A primeira dose da vacina contra a hepatite B deve ser administrada na maternidade, nas primeiras 12 horas de vida do recém-nascido. O esquema básico se constitui de três doses, com intervalos de 30 dias da primeira para a segunda dose e 180 dias da primeira para a terceira dose.

1 mês

  • Hepatite B - 2ª dose: Contra a hepatite B. As formas de contágio de hepatite B em crianças são através do parto, onde o bebê entra em contato com o sangue infectado da mãe e através do sangue de alguma pessoa contaminada, como em transfusões. Infelizmente não existe tratamento específico para essa doença. Por isso, o melhor a fazer é preveni-la com a vacinação.

2 meses

  • Vacina tetravalente (DTP+Hib) - 1ª dose: Contra Difteria, tétano, coqueluche, meningite e outras infecções causadas pelo Haemophilus influenzae tipo b. Depois das três doses são essenciais os dois reforços com a Tríplice Bacteriana (DTP), que previne a difteria, tétano e coqueluche. O primeiro reforço deve ser feito aos 15 meses e o segundo entre 4 e 6 anos. Depois o reforço será feito a cada dez anos.
  • VOP (vacina oral contra polio) - 1ª dose: Contra Poliomielite (paralisia infantil). Apesar de ser administrada em 3 doses e um reforço, a Sociedade Brasileira de Pediatria recomenda que a criança menor de cinco anos seja vacinada em todos os dias de vacinação nacional contra a pólio. Não há tratamento para a poliomielite, de 5 a 10% dos infectados morrem quando os músculos que permitem a respiração ficam imobilizados. Em 1994 o Brasil recebeu um certificado de erradicação da doença, mas nem por isso devemos nos descuidar.
  • VORH (vacina oral de rotavírus humano) - 1ª dose: Contra diarréia e desidratação causada por rotavírus. Cerca de 30% dos casos de diarréia grave nos menores de cinco anos são provocados pelo rotavírus.
  • Antipneumocócica Conjugada heptavalente* - 1ª dose: Contra Meningite pneumocócica, pneumonia, sinusite. É importante salientar que essa vacina não está incluída entre as obrigatórias da rede pública, só encontrada em clínicas particulares.
    A vacina é administrada em três doses e mais um reforço. A primeira dose é oferecida no segundo mês de vida, a próxima aos quatro e seis meses. O reforço é feito aos quinze meses. A Organização Mundial da Saúde estima que a doença pneumocócica resulte em até um milhão de mortes por ano de crianças com menos de cinco anos de idade em todo o mundo.

3 meses

  • Antimeningocócica Conjugada C* - 1ª dose: Contra Meningite Meningocócica C. Essa vacina protege as crianças da bactéria meningocóco C, que causa mais meningite em crianças de até 4 anos. Não está entre as vacinas oferecidas pela Rede de Saúde Pública. Dados demonstram que 60% das meningites, inflamação das membranas que envolvem o encéfalo e medula espinhal, são causadas pela bactéria do meningococo C. A transmissão é de pessoa para pessoa por meio do beijo e secreções expelidas pela tosse, fala ou espirro.

4 meses

  • Vacina tetravalente (DTP+Hib) - 2ª dose: Contra Difteria, tétano, coqueluche, meningite e outras infecções causadas pelo Haemophilus influenzae tipo b.
  • VOP (vacina oral contra polio) - 2ª dose: Contra Poliomielite (paralisia infantil).
  • VORH (vacina oral de rotavírus humano) - 2ª dose: Contra diarréia e desidratação causada por rotavírus.
  • Antipneumocócica Conjugada heptavalente* - 2ª dose: Contra Meningite pneumocócica, pneumonia, sinusite.

5 meses

  • Antimeningocócica Conjugada C* - 2ª dose: Contra Meningite Meningocócica C.

6 meses

  • Vacina tetravalente (DTP+Hib) - 3ª dose: Contra Difteria, tétano, coqueluche, meningite e outras infecções causadas pelo Haemophilus influenzae tipo b.
  • VOP (vacina oral contra polio) - 3ª dose: Contra Poliomielite (paralisia infantil).
  • Antipneumocócica Conjugada heptavalente* - 3ª dose: Contra Meningite pneumocócica, pneumonia, sinusite.
  • Hepatite B - 3ª dose: Contra a hepatite B.
  • Influenza* - 1ª dose: Contra gripe. Esta também é uma vacina que não se encontra na Rede Pública de Saúde. É aplicada através de injeção e a Sociedade Brasileira de Pediatria recomenda duas doses no primeiro ano de vida, aos 6 e 7 meses, e um reforço anual para grupos de risco, como crianças que tem asma grave.
7 meses


  • Influenza* - 2ª dose: Contra gripe.

9 meses

  • Febre Amarela - dose única: Contra Febre Amarela. A vacina contra febre amarela está indicada para crianças a partir dos 9 meses de idade que residam ou que irão viajar para área endêmica.São esses os estados brasileiros onde se concentra a maioria das notificações de febre amarela: Amapá, Tocantins, Maranhão, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Roraima, Acre, Rondônia, Pará e Goiás, além do Distrito Federal. Área de risco potencial (alguns municípios dos estados da Bahia, Espírito Santo e Minas Gerais). Se viajar para áreas de risco, é fundamental se vacinar contra Febre Amarela dez dias antes da viagem.

12 meses

  • SRC tríplice viral - dose única: Contra Sarampo, rubéola e caxumba.
  • Hepatite A* - 1ª dose: Contra Hepatite A. A vacina é realizada por injeção em duas doses em um período de seis meses e só pode ser aplicada após o primeiro ano de vida, normalmente aos doze meses e a segunda dose aos dezoito.Essa é uma das vacinas não encontrada na rede pública, apenas em clínicas particulares.
  • Varicela* - 1ª dose: Contra catapora. Esta vacina só é encontrada em clínicas particulares e pode ser realizada em duas doses.


15 meses

  • VOP (vacina oral contra polio) - reforço: Contra Poliomielite (paralisia infantil).
  • DTP tríplice bacteriana - 1º reforço: Difteria, tétano e coqueluche.
  • Antipneumocócica Conjugada heptavalente* - reforço: Contra Meningite pneumocócica, pneumonia, sinusite.


18 meses

  • Influenza* - anual: Contra gripe.
  • Hepatite A* - 2ª dose: Contra Hepatite A.

4 - 6 anos

  • DTP tríplice bacteriana - 2º reforço: Difteria, tétano e coqueluche.
  • SRC tríplice viral - reforço: Contra Sarampo, rubéola e caxumba.

* Estas vacinas não estão disponíveis na rede pública

fonte: Guia do Bebê

+ Populares

LinkWithin

Blog Widget by LinkWithin