Google+

16 de mai de 2014

Cubo Mágino no currículo

Colégio inova ao incluir Cubo Mágico no currículo
A disciplina, que integra a grade curricular oficial, ajuda na concentração e no desenvolvimento da socialização



Estimular habilidades como concentração, lógica, análise combinatória, persistência e facilidade de socialização. E ainda levar os alunos a estudar matemática de uma forma mais amigável, como se estivessem brincando. Esse foi o objetivo do colégio Joana D´Arc, localizado no bairro do Butantã, em São Paulo,  quando convidou o professor Rafael Cinoto para ministrar aulas aos alunos do 3º ao 8º ano. A disciplina, Cubo Mágico, inédita na grade oficial das escolas brasileiras, é uma velha conhecida do professor: Rafael Cinoto é ex-recordista sul-americano numa das modalidades de Cubo Mágico e delegado da Associação Mundial de Cubo Mágico no Brasil.

A disciplina virou febre no colégio. As aulas são aguardadas pelos alunos que enxergam no professor uma inspiração. Vencedor de vários torneios, e ainda bacharel em psicologia e graduando em licenciatura em matemática, Rafael Cinoto tenta fazer com que cada aluno descubra o seu próprio potencial.

“Alguns acham que não serão capazes, mas logo que os primeiros começam a aprender a resolver, todos se animam e, após sete aulas, mais de 90% dos alunos já aprenderam a resolver sozinhos”, conta o professor, lembrando que o quebra-cabeça é um ótimo aliado de outras disciplinas. “Entre outras coisas, ensinamos como calcular de quantas maneiras podemos atingir alguma configuração do cubo, por exemplo”, diz ele.

Do 6º ao 8º ano, os alunos têm uma aula de lógica por semana – e o Cubo já foi utilizado nessas aulas também. “A idéia é os alunos perceberem a importância de pensar antes de executar alguma ação”, ensina Rafael. “Realizamos apenas 3 ou 4 movimentos no cubo e eles têm que desfazer os movimentos, mas para isso precisam planejar os movimentos antes, ou então embaralharão mais ainda”.

Logo nas primeiras aulas, o professor ensina como resolver o Cubo Mágico. Em seguida, ensina novos atalhos para que os alunos consigam resolver ainda mais rápido. Os resultados aparecem rápido.

“Temos casos de melhora na capacidade de concentração e também no desenvolvimento da socialização de alunos mais introspectivos, que utilizam o Cubo Mágico como facilitador da comunicação”, conta o professor.

Com uma disciplina moderna e estimulante, e um campeão entre os professores, o colégio Joana D´arc pretende, entre outras coisas, simplificar o estudo de algumas disciplinas consideradas mais difíceis e por isso temidas pelos alunos.

“Em matemática, é possível utilizar o Cubo Mágico para ensinar análise combinatória”, diz a diretora Ana Cristina Pomarico.  “Podemos ensinar como calcular de quantas maneiras podemos atingir alguma configuração do cubo, por exemplo,” complementa o professor.

O Cubo Mágico, como disciplina oficial na grade curricular, vem trazendo vantagens na educação e no relacionamento entre os alunos, a se considerar o que podemos ver no colégio, nas salas de aula e no pátio: centenas de crianças e adolescente mexendo com seus quebra cabeças. Sem perceber, e de maneira divertida, eles desenvolvem o aprendizado e suas capacidades e ainda aproveitam para melhorar a auto-estima e a socialização.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

LinkWithin

Blog Widget by LinkWithin