Google+

31 de mar de 2008

Atividades para o Dia do Índio - parte II


No primeiro dia de atividades sobre o Dia do Índio obtivemos as impressões iniciais das crianças sobre a cultura indígena e realizamos algumas atividades. Hoje vamos trabalhar com alguns desses conceitos.

2º dia
Objetivo específico:
Identificar o local onde o índio mora, alguns costumes e os animais que o cercam.
Conhecer e experimentar elementos da cultura índígena. Executar jogos de locomoção e perseguição.

Roda de conversa:
Como é a casa do índio? Como se chama a criança indígena? O que os índios comem? Quais os bichos que existem perto da casa deles? São perigosos?

Atividade 1: Culinária e Lanche Coletivo
Mostrar uma mandioca para as crinaças e perguntar se sabem o que é e se já comeram. Explicar que se trata de um alimento típico do índios e contar a Lenda da Mandioca. Veja aqui outra versão, mais adequada para crianças. Em seguida preparar um delicioso e saudável prato feito com mandioca! Não esqueça de deixar os ingrediaentes prontos para o manuzeio das crianças, de prender o cabelo das meninas e lavar as mãos antes e depois.

Bolinhos de mandioca de forno
INGREDIENTES
750 g de mandioca cozida, sem as fibras
5 colheres (sopa) de farinha de trigo
3 ovos
1 colher (sopa) de margarina
2 colheres (sopa) de salsa picada
Sal a gosto
6 colheres (sopa) de queijo parmesão ralado

MODO DE PREPARO
Amassar a mandioca como para purê, misturar todos os
ingredientes, exceto o queijo parmesão.
Em uma assadeira untada, polvilhar
metade do queijo ralado.
Pingar a massa com uma colher de sopa e polvilhar
novamente o queijo ralado sobre os bolinhos.
Levar para assar em forno médio,
pré - aquecido.
Se precisar virar os bolinhos para assar do outro lado.
O tempo varia de acordo com o forno.

Atividade 2: Jogo

Realizar jogos que utilizem elementos relacionados ao índio, conforme o levantamento feito na conversa inicial.

  • Oca
  • Alimentos
  • Animais
  • Curumim

No próximo post darei sugestões sobre jogos com essa temática. Aguardem!

Avaliação: Desenho/texto - O que aprendemos nessa aula?
Registro, realizado pelo professor da fala das crianças.

28 de mar de 2008

Bateu a cabeça. O que fazer?


É muito comum que as crianças, principalmente as menores, caiam e batam com a cabeça. Elas ficam aos prantos e nós ficamos desesperadas! O que fazer nessa hora?
Sou Consultora do site Desabafo de Mãe e recebi uma pergunta justamente sobre essa questão. A mamãe também perguntava se existe alguma coisa para passar nos "roxos e galinhos". Seguem as dicas para vocês também!

Fazer uma compressa gelada no local por 15 ~ 20 minutos e repetir o procedimento após 20 minutos, é o indicado nesses casos. O gelo é anestésico e causa vasoconstrição, fazendo com que o edema (inchaço) seja menor e também o aspecto arrocheado. Não há necessidade de aplicar qualquer tipo de gel. Existem pomadas indicadas para hematomas, mas consulte o pediatra e verifique as indicações de uso.

Alguns cuidados são interessantes para minimizar os acidentes:
  1. Retire tapetes e objetos pontiagudos (mesas, cadeiras) do local onde a criança está brincando, utilize equipamentos que melhorem a segurança do ambiente;

  2. Evite o uso daqueles "andadores", as quedas são muito freqüentes;

  3. Quando estão aprendendo a andar, os calçados as vezes atrapalham mais do que ajudam, verifique se estão bem justos aos pés;

  4. Cuidado com o uso de meias e pantufas, certifique-se que possuem antiderrapante ou deixe seu filho descalço;

  5. Nos parquinhos certifique-se que o piso é adequado, seja de grama, areia ou emborrachado.

No caso de batidas na cabeça, mantenha a calma, por mais que a criança chore,
por mais grave que possa parecer!


Leve imediatamente ao Pronto Socorro quando, nas primeiras 24 horas:

  • Ocorrer desmaio,

  • vômito,

  • tontura,

  • desorientação,

  • dores de cabeça,

  • fala inarticulada,

  • dificuldade para andar.

Não force a criança a ficar acordada se estiver no horário de dormir, alguns
médicos recomendam acordá-la de hora em hora nas primeiras 4h, e verificar se
está respondendo bem ao ser estimulada.


Procure lembrar-se da maior quantidade de detalhes possíveis para ajudar no dignóstico médico:

  • como ocorreu o acidente;

  • quando;

  • qual a altura da queda;

  • em qual superfície ele bateu;

  • quais as alterações de comportamento;

  • aparecimento de inchaço em outras partes do corpo.

Fique sempre por perto, de olho nos pequenos, mas permita que eles explore todas as possibilidades de movimento, pois será muito importante para seu desenvolvimento motor. As quedas fazem parte desse processo e na maioria das vezes não oferecem risco. Na dúvida, consulte um médico.

27 de mar de 2008

Brincadeiras para o Dia do Índio: parte I


Essa é descrição da atividade 2 que está no post Atividades para o Dia do Índio - Parte I.


Circuito de Habilidades Motoras - Explorando a Floresta!

Objetivo específico:
Identificar o espaço ocupado pelo índio (floresta) e suas características principais;
Executar habilidades motoras fundamentais de locomoção, estabilização e manipulação.

Estratégia:
Circuito de habilidades por tempo, contendo 5 estações.

Conteúdo:
Conversa inicial:
Onde o índio vive? O que podemos encontrar na mata? O que vamos encontrar na nossa mata.


  1. Ponte:
    Material: Banco sueco. Tarefa: Atravessar o banco sueco de várias formas.
    Dica de equilíbrio: afastar os braços

  2. Rio:
    Material: Colchonetes. Tarefa: Saltar para o lado oposto sem molhar o pé (pisar no colchonete)
    Dica de impulsão: usar o braço
    Dica de aterrisagem: fazer a cadeirinha (flexionar os joelhos)

  3. Árvores com frutas:
    Material: Objetos pendurados, bolinhas de tênis. Tarefa: Acertar os objetos (frutas na árvore) com as bolinhas.
    Dica para arremesso: estender o braço.
    Dica para acertar o alvo: olhar para o alvo

  4. Teia de aranha:
    Material: corda elástica. Tarefa: Passar por baixo/por cima da teia de aranha (corda elástica trançada) sem tocá-la.
    Dica de execução: fazer devagar.

  5. Caminho da onça:
    Material: Cordas, arcos e cones. Tarefa: Percorrer o caminho da onça passando sobre a corda sinuosa, pisando sobre as pedras (arcos) e fazendo zig-zag nas árvores (cones)

    Obs.: As dicas apresentadas são apenas exemplos. Elas deverão ser dadas de acordo com as necessidades das crianças.

    Conversa final:
    O que aprendemos? Qual lugar da nossa floresta foi mais fácil? E qual foi mais difícil?
    Avaliação:
    Registro realizado pelo professor das falas das crianças, principalmente durante as rodas de conversa.

26 de mar de 2008

Atividades para o Dia do Índio - parte I


Aproveitar datas comemorativas para desenvolver pequenos projetos pode ser muito interessante mas é preciso pensar qual significado terá para os alunos e o que podem aprender com isso. O ideal é que esses festejos estajam previstos no planejamento anual e tenham relação com os conteúdos escolares.

Em menos de um mês será comemorado o Dia do Índio (19 de abril), o mais comum é vermos nesta data crianças com o rosto pintado com "riscos", usando cocares e alguns desenhos prontos para colorir que irão parar na pasta de cada um. Lembrando que de acordo com a Lei 11465, de 10 de março de 2008, a história e cultura Indígena (assim como a Afro-brasileira), passa a ser temática obrigatória pela LDB (Lei de Diretrizes e Bases), no ensino fundamental e médio. Com uma cultura indígena tão rica, será que é apenas isso que os educadores podem oferecer às crianças?

OBS: No dia 19 de abril, recebi a visita do Prof. José Luiz de Souza, pesquisador de índios, que alertou sobre um possível erro no número da lei. O Diário Oficial (D.O.U), publicou como 11465, contudo na página da Casa Civil a mesma lei aparece com o número 11645. Aparentemente houve um erro de digitação, invertendo os dígitos na publicação do D.O.U. Fica aqui meu agradecimento pela colaboração do professor.

Estes são links interessantes para ajudar na pesquisa sobre os povos indígenas:

Estatuto do Índio
Quem são, quantas são e onde estão os povos indígenas e suas escolas - Apresenta dados estatísticos sobre etnias, população, línguas, terras, escolas, alunos e professores. Produzido pelo INEP, como subsídio para o Programa Parâmetros em Ação de Educação Escolar Indígena.
Banco de dados da Amazônia - Site não-oficial, que traz dados e informações sobre a região amazônica. Abre um canal para contatos com especialistas (antropólogos, geógrafos etc). Traz mapas, dados e informações sobre a questão indígena, preservação da floresta e links para jornais da região.
FUNAI - Site da Fundação Nacional do Índio. Traz informações e notícias de 200 comunidades indígenas e sua situação fundiária, além de páginas sobre cultura, mitos, línguas e crenças indígenas. Há ainda um dicionário em tupi e um formulário próprio para pesquisas escolares.
Organizações Indígenas - Lista de instituições ligadas aos índios no Brasil, divididos geograficamente, elaborada pelo site do Instituto Socioambiental.
IDETI - Site da ONG que divulga e promove a cultura e o conhecimento dos povos indígenas. Na seção "Diversidade", traz informações sobre os povos Ainu, Bororo, Kaxinaku e Xavante.
COIAB - Organização indígena, de direito privado, sem fins lucrativos, a COIAB reúne 75 entidades e 165 povos indígenas. No site, destaque para o clipping de notícias relacionadas à temática indígena.
Tribos e Mitos - Página com dados e informações sobre os povos indígenas que habitam a região do Pantanal-MS.
Diversidade Cultural dos Povos Indígenas - Texto disponível no site do Museu do Índio que aborda aspectos culturais dos povos indígenas.
História Cultura e Mitos - Página especial sobre os índios brasileiros, com dados, informações, imagens relativos à questão indígena.
Lendas e Mitos - Página do site do governo estadual do Pará, que trata das lendas e mitos cultivados entre a população indígena residente naquele Estado. São histórias sobre a Vitória Régia, a Mandioca, o Boto, o Sol, a Lua, entre outros.
Especial Dia dos Índios - Centro de Referência em Educação de onde foram tirados os links acima e com muitos outros links interessantes.

Minha proposta foi elaborada para crianças da Educação Infantil, mas com algumas adaptações pode ser utilizada também no Ensino Fundamental.


Eixos de Trabalho Principais:
Movimento / Natureza e Sociedade
Tema: Índio
Duração: 1 semana
Objetivo Geral: Conhecer elementos da cultura indígena. O
local onde vivem, pintura corporal e brincadeiras infantis.
Estratégia: Atividades artísticas, Pesquisa, Jogos e Brincadeiras.
Avaliação: Registro individual escrito/desenho e registro oral coletivo.

1º DIA
Objetivo Específico:
Identificar o nível de conhecimento das crianças
sobre o universo indígena. Caracterizar o espaço ocupado pelo índio, seus
hábitos e costumes.

Roda de conversa:
"O que é" o Índio? (trabalhar o conceito de cidadania, se ele é "gente"
então devemos usar: Quem é o índio?). A partir das respostas induzir outras
questões que possam levantar: onde vive, como se veste, qual é seu trabalho,
porque se pinta, o que come, como são as crianças, quais são as brincadeiras, se
estudam, como tratam as doenças, etc.
Não interferir nas respostas, apenas administrar eventuais conflitos.
Anotar todas as impressões das crianças sobre a cultura indígena em uma
cartolina e fixar em local visível.

Atividade 1: recotar e colar
Levar imagens que possam representar as respostas à essas questões e pedir
para que montem painéis que representem cada uma delas. Comparar as impressões
anotadas com as representações fotográficas.

Algumas imagens podem ser encontradas no Centro de Trabalho Indigenista e História, Cultura e Mitos.

Atividade 2: circuito de habilidades motoras
Conversa inicial: Considerando que a maioria dos índios vive na
mata/floresta. O que podemos encontrar por lá?
Montar um circuito de habilidades com elementos que representem a floresta
(aguarde o próximo post!)

Avaliação: Desenho/texto - O que aprendemos nessa aula?
Registro, realizado pelo professor da fala das crianças.

25 de mar de 2008

Obesidade Infantil

A obesidade é uma doença crônica, classificada pela OMS (Organização Mundial da Saúde), como epidêmica. No Blog Fique INforma, você encontrará uma série de informações sobre o tema, que é preocupante quando se trata de adultos e muito pior quando o obeso é criança.
Uma recente pesquisa realizada pela Universidade Estadual do Rio de Janeiro (Uerj) mostra que os nossos índices (11,5%) para a obesidade infantil estão se aproximando dos encontrados nos Estados Unidos (15%), conforme relatado no site da ABESO (Associação Brasileira para Estudo da Obesidade e da Síndrome Metabólica), da qual sou membro.

Causas
  • Fatores genéticos;
  • Disfunções hormonais;
  • Fatores comportamentais.
Se pensarmos que os dois primeiros sempre existiram (lembrando que problemas hormonais respondem por apenas 5% dos casos), não é difícil concluir que o comportamento é o principal causador do aumento dos casos. Entenda por comportamento, a má alimentação e o sedentarismo.
Já há quem coloque a culpa no marketing dos alimentos infantis, mas não é tão simples assim. No Reino Unido o governo parou de responsabilizar a propaganda pela epidemia e decidiu criar uma campanha para incentivar a mudança na dieta das crianças e o aumento na quantidade de atividade física. Por aqui já vemos algumas iniciativas como a campanha criada para a linha de tênis infantis da Fila.
Em Natal (RN), uma lei municipal proíbe a venda de alimentos pouco saudáveis na escola, o que ocorre também em outras cidades. A iniciativa é boa, mas será que o lanche da escola é o culpado?
Quando eu era criança tomava refrigerante (normal, porque não existia ligth)
e comia salgadinho frito ou hamburger, todos os dias no lanche escolar, fora o
chocolate, balas e doces. E não fiquei obesa... Sorte? Genética? Nada disso! Eu
chegava em casa e não tinha computador, nem video-game, nem TV a cabo, eu ia
brincar no playground! Também não tinha miojo, nem comida processada
para jantar, nem bolacha recheada aos montes...
Os tempos mudaram e os hábitos também, só esqueceram de avisar para nosso corpo que continua agindo e armazenando gordura como se vivêssemos na idade da pedra!!! Portanto iniciativas tomadas pelas escolas são interessantes, inclusive por se tratar de ambiente educacional, mas as mudanças ocorrer em casa. Os danos causados pela obesidade podem ser desde um atraso no desenvolvimento motor, que não causa grandes transtornos, até irreversíveis como a Diabetes tipo 2, que acometia apenas adultos e hoje pode ser diagnosticada em crianças com 10 anos.
Aguardem as dicas para ajudar nas mudanças de hábito e prevenir a obesidade.

24 de mar de 2008

Desenvolvimento Motor - Habilidade Motora Fundamental: Parte II

Neste texto irei abordar a segunda, das três habilidades motoras fundamentais, dando continuidade ao tema Desenvolvimento Motor. No último post sobre o assunto abordei a habilidade de estabilização, hoje é a vez da habilidade fundamental de locomoção e as idades correpondentes.

HABILIDADE MOTORA FUNDAMENTAL DE LOCOMOÇÃO
Foram descritos alguns padrões de movimento, para cada um deles selecionadas determinadas habilidades que foram relacionadas à uma idade aproximada de início.

Caminhada
Colocar um pé na rente do outro enquanto mantém contato com a superfície de apoio.

  • Galope ereto rudimentar sem auxílio - 13 meses
  • Caminhar lateralmente - 16 meses
  • Caminhar para trás - 17 meses
  • Subir degraus com auxílio - 20 meses
  • Subir degraus sozinho (passos seguidos) - 24 meses
  • Descer degraus sozinho (passos seguidos) - 25 meses

Corrida
Corrida envolve um breve período sem contato com a superfície de apoio.

  • Caminhada rápida (mantém contato) - 18 meses
  • Primeira corrida verdadeira (fase sem suporte) - 2 ~ 3 anos
  • Corrida eficiente e refinada - 4 ~ 5 anos
  • Aumento de velocidade de corrida, corrida madura*. - 5 anos

Salto
Salto toma três formas: (1) salto em distância, (2) salto em altura, (3) salto de alguma altura. Envolve o impulso em um ou dosi pés, com pouso em ambos os pés.

  • Descer de objetos baixos - 18 meses
  • Saltar de objetos com impulso de um pé - 2 anos
  • Saltar do chão com os dois pés -28 meses
  • Saltar em distância (cerca de 1 m) - 5 anos
  • Saltar em altura (cerca de 30cm) - 5 anos
  • Padrão de salto maduro* - 6 anos


Saltito
Envolve impulso com um pé e pouso com o mesmo pé.

  • Saltitar até 3 vezes no pé de preferência - 3 anos
  • Saltitar de 4 a 6 vezes no mesmo pé - 4 anos
  • Saltitar de 8 a 10 vezes no mesmo pé - 5 anos
  • Saltitar distâncias de 15 m em cerca de 11s - 5 anos
  • Saltitar habilmente, com alternância rítmica, padrão maduro* - 6 anos

Galope
Combinação de uma caminhada e um salto com o mesmo pé direcionando todo o movimento.
  • Galope básico, porém ineficiente - 4 anos
  • Galopa habilmente, padrão maduro* - 6 anos

Skipping
Elevação de joelhos. Combina uma passada e um saltoem alternância rítmica.
  • Skipping com uma perna - 4 anos
  • Skipping completo (cerca de 20%) - 5 anos
  • Skipping completa (para a maioria) - 6 anos

*A criança tem potencial para estar no estágio maduro. A conquista real dependerá de fatores como a tarefa, o indivíduo e o ambiente.

No post sobre Conceitos do Movimento você encontrará sugestões de tarefas para executar essas habilidades.


Referência Bibliográfica:
GALLAHUE, D.L., OZMUN, J.C. Compreendendo o Desenvolvimento Motor: Bebês, Crianças e Adultos. São Paulo: Phorte Editora, 2001
Este livro é excelente e já foi indicado por mim.

Aguardem o texto sobre as habilidade fundamental de manipulação!

21 de mar de 2008

Gulliver: Brinquedos Perigosos

A fabricante de brinquedos Gulliver anuncia o recall de mais de 6000 brinquedos no Brasil.



São 6.209 unidades de produtos das linhas Magtastik e Magnetix Jr.Produtos oferecem risco às crianças, que podem acabar engolindo peças.






Leia mais:
Pequenas ameaças
Gulliver anuncia recall de mais de 6000 brinquedos no Brasil
Gulliver anunciará postos de troca na segunda-feira
Comunicado Oficial

20 de mar de 2008

Páscoa: compras de última hora com entrega garantida.

A Americanas.com garante a entrega dos produtos de Páscoa para os pedidos aprovados até dia 21/03/2008.

ATENÇÃO - Válido apenas para:

São Paulo - CEP 01000-000 a 05999-999 - pedidos
aprovados até 18:00


Rio de Janeiro - CEP 22000-000 A 22699-999 - pedidos
aprovados até 12:00


O site só oferece vantagens. Os preços dos ovos variam de R$ 3,99 à R$ 86,99, de diversas marcas - Garoto, Lacta, Nestlé, Bauducco, Amor aos Pedaços, Arcor, Top Cau e Duffy - e dos mais variados tipos - ao leite, chocolate branco, crocante, recheado, diet. Além disso alguns produtos contam com informações nutricionais completas e a lista dos ingredientes, disponíveis no site. Antes da entrega a Americanas.com garante que os chocolates ficam em uma sala refrigeradae são transportados e entreguesem uma caixa de isopor, envolvidos por uma camada de gelo seco, garantindo a qualidade e integridade do produto.

Os destaques são:


  • Para meninas: Ovo surpresa As Meninas Super Poderosas (Nestlé) com cerca de 180g, Chocolate ao leite recheado com um brinquedo incrível das Meninas Superpoderosas.


  • Para meninos: Ovos Surpresa Spiderman (Nestlé) com cerca de 180g, Chocolate ao leite recheado com um brinquedo incrível do Spiderman.

  • Para gente grande!!! Ovo dois Amores (Amor aos Pedaços) com cerca de 400g, ovo de chocolate ao leite recheado com doce de leite e chocolate branco com brigadeiro e bombons do mesmo sabor.

  • Para quem não quer dar chocolate: bichinhos de pelúcia, a loja oferece várias opções de coelhinhos.

  • Para o melhor amigo do homem: Até o seu cãozinho poderá participar da festa! Tem ovo de Páscoa e Colomba Pascal desenvolvidos por veterinários, próprio para eles. E sabe por quanto? R$ 5,90!!!

Mais vantagens...

Frete grátis para as compras acima de R$49,00Em alguns casos o pagamento pode ser parcelado, aceita todos os Cartões de Crédito, Boleto Bancário, Transferência Bancária, Mcash.

Os preços são válidos apenas para compras pela internet ou telefone. Aproveite e faça seu pedido agora!!! O você prefere enfrentar a fila para fazer suas compras???

17 de mar de 2008

Menino precisa de doação de Medula Óssea

Atendendo à solicitação da minha leitora Cristiane, venho aqui pedir a ajuda de vocês também!
O menino tem Leucemia Mielóide e precisa de uma transfusão de medula, ele faz quimioterapia desde fevereiro de 2007, quando a doença foi descoberta. Os pais seriam os melhores e possíveis doares da medula para ele, só que o Luis Flávio foi adotado por um casal em Salvador, já que foi abandonado com vinte e um dias de vida. Ele foi encontrado por um vigilante na carroceria de um carro no bairro da Pituba, enrolado em um lençol e ainda com o cordão umbilical. Ele tem 90% de chance de cura, caso este transplante seja realizado, mas para isso é preciso encontrar os seu pais biológicos. Os pais adotivos do Luis Flávio deixam claro que caso a mãe apareça ela não corre o risco de ser presa, pois não existe flagante e nunca foi instaurado nenhum inquérito policial.
Saiba mais sobre como doar, assista ao vídeo exibido no Programa Mais Você, e outras informações no Blog Tô Doida.

15 de mar de 2008

Atividades para Páscoa - parte I

Aqui vão algumas atividades para a Páscoa sugeridas pela Professora Feliz, você poderá encontar muito mais na Galeria Picassa que ela montou, não deixe de passar por lá!!!

Músicas

Caixinha para Ovos
Máscaras


Desenhos para Colorir


Símbolos da Páscoa
Você pode aproveitar estes para a brincadeira Mímicas de Páscoa, que eu postei há alguns dias atrás.

13 de mar de 2008

Brincadeiras para Páscoa - Parte IV

Caça ao Ovos

Esta talvez seja a brincadeira mais tradicional para a Páscoa. Complementa os outros posts:
Brincadeiras para Páscoa - Parte I
Brincadeiras para Páscoa - Parte II
Brincadeiras para Páscoa - Parte III
Basicamente os ovos são escondidos e as crianças devem achá-los, mas existem várias maneiras de torná-la mais interessante para as crianças.

Idade: 3 - 10 anos
Material: ovos de chocolate (no mínimo 1 por criança). Cesta para recolher os ovos.
Objetivo: Executar tarefa que exija percepção espacial.

Pode ser trabalhado em grupo ou individual.

Detetive
Material específico: farinha ou guache branco.
Esconder os ovos e deixar nas proximidades marcas das "pegadas" do coelho.
Fazer uma roda de conversa e contar em "tom de fofoca" que um coelho muito atrapalhado decidiu esconder os ovos, mas deixou algumas pistas... Vamos procurar?!

Coelho bagunceiro
Material específico: Cartolina com o desenho de um coelhinho usando diversos acessórios (óculos, cachecol, bolsa... e cesto com ovos). Cada um dos acessórios usado pelo coelho.
Objetivo específico: memorização
Esconder os ovos e deixar nas proximidades um acessório do coelho.
Fazer uma roda de conversa e contar a história do coelho bagunceiro, mostrar a "foto" do coelho (cartolina desenhada). Pedir para que as crianças ajudem a encontrar os objetos perdidos.

Tesouro de Páscoa
versão 1
Material específico: cartões com pistas (desenhada ou escrita)
Objetivo específico: exercitar o raciocínio lógico.
Esconder todos os ovos em um determinado local. Criar uma pista, que leve até outra, e mais outra...mais quantas quiser, até os ovos escondidos.

versão 2
Material específico: cartões com pistas (desenhada ou escrita), papel kraft com mapa rústico do local desenhado, com pistas marcadas.
Objetivo específico: exercitar o raciocínio lógico e noção de ponto de referência.
Esconder todos os ovos em um determinado local. No ponto de partida as crianças receberão uma pista, deverão procurar no mapa sua localização e se dirigir ao local para procurar nova pista. Repetir o processo, quantas vezes quiser, até chegar nos ovos escondidos.

Combinados: se dividir em equipes, identificar as pistas por cores. Instruir às crianças que se acharem a pista do adversário devem deixá-la no local.

Dica: ter por escrito e detalhadamente os locais onde escondeu as pistas!

Educação a Distância

11 de mar de 2008

Desenvolvimento Motor - Habilidade Motora Fundamental: Parte I

Conforme descrevi em outro post sobre desenvolvimento motor, as habilidades motoras fundamentais são divididas em estabilização, locomoção e manipulação. Que por sua vez são divididas em estágios: inicial, elementar e maduro. Para facilitar a compreensão e com base em diversas pesquisas determinou-se a idade aproximada para que a criança consiga executar determinadas tarefas. Lembrando que com 6 anos a criança tem potencial para estar no estágio maduro, dependendo de como for estimulada (tarefas, ambiente). Neste texto irei abordar a correspondência entre as habilidades fundamentais de estabilização e as idades.

HABILIDADE MOTORA FUNDAMENTAL DE ESTABILIZAÇÃO
Foram descritos alguns padrões de movimento, para cada um deles selecionadas determinadas habilidades que foram relacionadas à uma idade aproximada de início.

Equilíbrio Dinâmico
Manter o próprio equilíbrio conforme o centro de gravidade se desloca.

  • Caminhar em linha reta - 3 anos
  • Caminhar em linha circular - 4 anos
  • Ficar em pé sobre trave de equilíbrio baixa - 2 anos
  • Caminhar em superfície com 10 cm de largura uma curta distância - 3 anos
  • Caminhar na trave baixa alternando os pés - 3 ~ 4 anos
  • Caminhar na trave fina (5,1 cm ou 7,6 cm) - 4 anos
  • Executar rolamento para frente (forma grossa) - 3 ~4 anos
  • Executar rolamento para frente (forma fina) - 6 ~7 anos

Equilíbrio Estático
Manter o próprio equilíbrio enquanto o centro de gravidade permanece estacionário.

  • Colocar-se em pé - 10 meses
  • Colocar-se em pé sem apoio das mãos - 11 meses
  • Colocar-se em pé sem apoio - 12 meses
  • Equilibrar-se em um pé durante 3 ~5 seg. - 5 anos
  • Suportar o peso corporal em apoio invertido com 3 contatos (parada de cabeça) - 6 anos

Movimentos Axiais
Posturas estáticas que envolvem inclinação, alongamentos, giros, rotações e similares.

  • Esses movimentos vão se refinando progressivamente até o ponto de serem incluídos nos padrões de movimentos manipulativos emergentes de lançar, aparar, chutar, bater e outras atividades. - 2 meses a 6 anos

No post sobre Conceitos do Movimento você encontrará sugestões de tarefas para executar essas habilidades.

Referência Bibliográfica:

GALLAHUE, D.L., OZMUN, J.C. Compreendendo o Desenvolvimento Motor: Bebês, Crianças e Adultos. São Paulo: Phorte Editora, 2001

Este livro é excelente e já foi indicado por mim.

Aguardem os textos sobre as habilidades fundamentais de locomoção e manipulação!

10 de mar de 2008

Menino de 8 anos é aprovado em vestibular: considerações.

A notícia veiculada na semana passada, gerou uma grande quantidade de comentários, todos pertinentes. O menino João Víctor Portelinha de Oliveira, prestou vestibular para Direito na UNIP - Goiânia, no formato de prova agendada e foi aprovado. Sem tirar os méritos do garoto cabe aqui alguns comentários, pois o fato não difere daqueles retratados no curta A Invenção da Infância, postado em 9 de janeiro de 2008.

1. Foi violado, o Estatuto da Criança e do Adolescente.

Art. 5º Nenhuma criança ou adolescente será objeto de qualquer forma de negligência, discriminação, exploração, violência, crueldade e opressão, punido na forma da lei qualquer atentado, por ação ou omissão, aos seus direitos fundamentais.
Art. 6º Na interpretação desta Lei levar-se-ão em conta os fins sociais a que ela se dirige, as exigências do bem comum, os direitos e deveres individuais e coletivos, e a condição peculiar da criança e do adolescente como pessoas em desenvolvimento.

A mãe chegou a afirmar ser um sonho do garoto e que iriam correr atrás. Sonho do garoto ou dos pais do garoto? Em entrevista o menino disse que faria faculdade pela manhã e o colégio à tarde. E vai brincar quando? Como falam no comercial do OMO: Toda criança tem direito de ser criança!

2. O menino pode ser inteligente, ter a capacidade de reter informações, mas não tem maturidade. Sabe-se que a capacidade de abstração, necessária para uma compreensão não linear dos fatos e impressindível para um julgamento correto, inicia seu desenvolvimento na adolescência, por volta dos 12 anos. Por mais precoce que seja esta criança, podemos supor que está no início desta fase, ou seja falta maturidade. Portanto não teria condições do ponto de vista biológico para iniciar um curso superior.

3. Pela LDB (Lei de Diretrizes e Bases), o menino deveria estar cursando o segundo ano do ensino fundamental ( na realidade está adiantado, no 5º). Essa lei também diz que para cursar o ensino superior é necessário ter concluído o ensino médio e ser classificado em processo seletivo. Apesar de haver precedentes na justiça da solicitação de matrícula no ensino superior sem a conclusão do ensino médio, nunca houve um candidato tão jovem.

4. Por mais inteligente que seja, uma criança de 8 anos não deveria conseguir aprovação em um vestibular para o ensino superior. O Ministro da Educação, Fernando Haddad, determinou abertura de investigação no processo seletivo da UNIP-Goiânia. De quaquer forma o fato esscancara qual é a condição para o ingresso em uma universidade. É fácil porque as instituições privadas precisam de alunos e ser fosse difícil não conseguiriam completar as vagas, uma vez que a qualidade do nosso ensino é péssima. Páre e pense: que tipo de profissionais temos hoje saindo da universidade?

E você o que acha desta notícia? Deixe sua opinião!

7 de mar de 2008

Brincadeiras para a Páscoa - Parte III

Você gostou das brincadeiras da parte I e parte II, divirta-se com essas!

Chicotinho queimado com ovos!

Idade: 3 - 12 anos
Material: Mini ovos de chocolate (no mínimo 1 por criança)
Objetivo: Associar palavras. Realizar trabalho em equipe. Compreender o jogo competitivo.

Jogando:
Dividir as crianças em duas ou mais equipes.
Esconder os mini ovos em diversos locais.
Informar às crianças se estão perto ou longe dos ovos.
Quente: perto
Frio: longe.
Os ovos encontrados serão colocados em cestas. A equipe que recolher mais ovos será a vencerdora.
Ao final juntar todos os ovos e distribuir para as crianças.


Corrida da colher com ovos de Páscoa.

Idade: 5 - 12 anos
Material: Ovos pequenos de chocolate (no mínimo 1 por criança), colher (1 por equipe), cones (1 por equipe), cestos (1 por equipe) giz.
Objetivo: Executar habilidades motoras fundamentais de locomoção e estabilização. Realizar trabalho em equipe. Compreender o jogo competitivo.

Jogando:
Dividir as crianças em duas ou mais equipes arrumadas em colunas.
Marcar a linha de saída com giz. Colocar na extremidade oposta os cones.
As colunas devem ficar atrás da linha, um cesto com ovos de chocolate deverá ser colocado ao lado da primeira criança.
A criança que estiver na frente deverá pegar um ovo na cesta, colocar na colher e condizir, o mais rápido possível até dar a volta pelo cone e retornar para sua equipe, entregando a colher para o próximo da coluna. E assim sucessivamente. A equipe que terminar primeiro será vencedora.
Ao final cada criança fica com o ovo que usou na brincadeira.


Mímica de Páscoa

Idade:
7 - 14 anos
Material: Cartões com desenhos/palavras que retratem símbolos da Páscoa (ovos, coelho, cesta, símbolos religiosos, alimentos)
Objetivo: Discutir o significado da Páscoa. Expressar-se gestualmente.

Jogando:

Em uma roda de conversa discutir o significado da Páscoa e de seus símbolos. Esclarecer eventuais dúvidas.
Cada criança deverá retirar um cartão sem que as demais vejam. Um participante por vez realizará mimica que represente seu cartão e as demais tentarão adivinhar o que é.
Pode ser feito em grupo.

4 de mar de 2008

Brincadeiras para Páscoa - Parte II

Revezamento do Coelhinho

Idade: 3 - 8 anos
Material: Giz, cones (ou outros materiais para marcar)
Objetivo: Executar habilidade motora fundamental de locomoção (saltar). Realizar trabalho em equipe. Compreender o jogo competitivo.

Jogando:
Dividir as crianças em duas ou mais equipes. Marcar com o giz a linha de saída/chegada e com os cones o ponto de retorno.
As equipes deverão permanecer em colunas atrás da linha. Ao sinal a primeira criança, de cada equipe, deverá sair saltando como um coelhinho até o cone, contorná-lo e retornar até a linha, onde a próxima criança iniciaré o processo, até a última.
Vence a equipe que terminar primeiro.

Variações:
Para deixar mais fácil:

  1. Permitir que o coelho salte da forma que a criança achar melhor.

Para deixar mais difícil:

  1. Saltar com os pés unidos
  2. Saltar com impulso
  3. Saltar com os dois pés
  4. Saltar de costas
O Salto do Coelhinho

Idade: 3 - 8 anos
Material: Giz (ou outro material para marcar)
Objetivo: Executar habilidade motora fundamental de locomoção (saltar distância) e estabilização (equilíbrio dinâmico).

Jogando:
Demarcar duas linhas. As crianças deverão saltar de uma linha para a outra, como se fossem coelhinhos. Aumentar a distância entre as linhas conforme forem conseguindo executar a tarefa.



O Rabo do Coelho

Idade: a partir de 3 anos.
Material: Cartolina com o desenho de umcoelho da páscoa, de costas. Pom-pom feito de lá ou outro material. Fita crepe. Venda.
Objetivo: Executar habilidade motora fundamental de locomoção e estabilização. Melhorar a noção de espaço.

Jogando:
Fixar a cartolina com o desenho em uma parede para que fique ao alcance dos participantes. Colocar fita crepe no pom-pom.
Solicitar que o participante observe a figura.
Vendar o participante.
Girar o participante vendado, deixando-o de frente para a cartolina. Ele deverá colar o rabo do coelho no local adequado.

3 de mar de 2008

Curso de Capacitação de Professores

A Escola da Vila, instituição de ensino referência na construção do conhecimento, situada na Cidade de São Paulo, mantém há 25 anos um Centro de Estudos para formação continuada de professores que oferece excelentes cursos.


Em 2008 o CEEV oferecerá cinco propostas de Formação Continuada para profissionais com possibilidade de presença semanal nas atividades do Centro de Estudos.
Os Grupos de Formação Continuada são encontros de reflexão que discutem as práticas de ensino dos profissionais inscritos, tendo como referência a prática de ensino da Escola da Vila.


G1- Grupos de Formação Continuada sobre o Ensino da Língua (5 à 8 anos- alfabetização)
Capacitadora: Andréa Luize com a colaboração de professores da Escola da Vila.
Atividade com duração de 2 semestres - 27 encontros semanais:

G2- Grupo de Formação sobre Práticas de Educação Infantil (2 à 5 anos) - ÑÃO TEMOS MAIS VAGAS PARA ESSE CURSO.
Capacitadoras: professoras da Escola da Vila sob a coordenação de Dayse Gonçalves.
Atividade com duração de 2 semestres - 27 encontros semanais:

G3- Grupo de Formação sobre currículo e rotina em classes de 0 à 3 anos
Capacitadora: Ana Paula Yazbek com a colaboração da equipe do Espaço da Vila.
Atividade com duração de 2 semestres - 20 encontros semanais:

G4- Conhecer e Ensinar Arte: da Ed. Infantil ao 5º ano do Ensino Fundamental
Capacitadora: Karen Greif Amar.
Atividade com duração de 2 semestre - 20 encontros semanais:

G5- Conhecer e Ensinar conteúdos matemáticos: do 1º ao 5º ano do Ensino Fundamental
Capacitadora: Maria da Paz Castro (Gunga).
Atividade com duração de 2 semestre - 20 encontros semanais:

2 de mar de 2008

Violência Sexual Infantil

Definição
"Qualquer conduta sexual com uma criança levada a cabo por um adulto ou por outra criança mais velha. Isto pode significar, além da penetração vaginal ou anal na criança, também tocar seus genitais ou fazer com que a criança toque os genitais do adulto ou de outra criança mais velha, ou o contacto oral-genital ou, ainda, roçar os genitais do adulto com a criança."

Também podem ser considerados: mostrar os genitais de um adulto a um criança, incitar a criança a ver revistas ou filmes pornográficos, ou utilizar a criança para elaborar material pornográfico ou obsceno.


Comportamento da criança abusada
  • Interesse excessivo ou evitação de natureza sexual;

  • Problemas com o sono ou pesadelos;

  • Depressão ou isolamento de seus amigos e da família;

  • Achar que têm o corpo sujo ou contaminado;

  • Ter medo de que haja algo de mal com seus genitais;

  • Negar-se a ir à escola,Rebeldia e Delinqüência;

  • Agressividade excessiva;

  • Comportamento suicida;

  • Terror e medo de algumas pessoas ou alguns lugares;

  • Retirar-se ou não querer participar de esportes;

  • Respostas ilógicas (para-respostas) quando perguntamos sobre alguma ferida em seus genitais;

  • Temor irracional diante do exame físico;

  • Mudanças súbitas de conduta.

Perfil do abusador


  • Em 80% dos casos são pessoas que a criança conhece, que detem algum tipo de controle sobre a criança.

  • 10% dos casos ocorrem na família: pai, padrasto ou irmão mais velho

  • Também podem ocorrer: na creche, no transporte escolar, as aulas de natação do clube, o consultório do pediatra de confiança, nas aulas de catecismos da paróquia.

Como prevenir
  1. Dizer às crianças que "se alguém tentar tocar-lhes o corpo e fazer coisas que a façam sentir desconfortável, afaste-se da pessoa e conte em seguida o que aconteceu."

  2. Ensinar às crianças que o respeito aos maiores não quer dizer que têm que obedecer cegamente aos adultos e às figuras de autoridade. Por exemplo, dizer que não têm que fazer tudo o que os professores, médicos ou outros cuidadores mandarem fazer, enfatizando a rejeição daquilo que não as façam sentir-se bem.

  3. Ensinar a criança a não aceitar dinheiro ou favores de estranhos.

  4. Advertir as crianças para nunca aceitarem convites de quem não conhecem.

  5. A atenta supervisão da criança é a melhor proteção contra o abuso sexual pois, muito possivelmente, ela não separa as situações de perigo à sua segurança sexual.

  6. Na grande maioria dos casos os agressores são pessoas conhecem bem a criança e a família, podem ser pessoas às quais as crianças foram confiadas.

  7. Embora seja difícil proteger as crianças do abuso sexual de membros da família ou amigos íntimos, a vigilância das muitas situações potencialmente perigosas é uma atitude fundamental.

  8. Estar sempre ciente de onde está a criança e o que está fazendo.

  9. Pedir a outros adultos responsáveis que ajudem a vigiar as crianças quando os pais não puderem cuidar disso intensivamente.

  10. Se não for possível uma supervisão intensiva de adultos, pedir às crianças que fiquem o maior tempo possível junto de outras crianças, explicando as vantagens do companheirismo.

  11. Conhecer os amigos das crianças, especialmente aqueles que são mais velhos que a criança.

  12. Ensinar a criança a zelar de sua própria segurança.

  13. Orientar sempre as crianças sobre opções do que fazer caso percebam más intenções de pessoas pouco conhecidas ou mesmo íntimas.

  14. Orientar sempre as crianças para buscarem ajuda com outro adulto quando se sentirem incomodadas.

  15. Explicar as opções de chamar atenção sem se envergonhar, gritar e correr em situações de perigo.

  16. Orientar as crianças que elas não devem estar sempre de acordo com iniciativas para manter contacto físico estreito e desconfortável, mesmo que sejam por parte de parentes próximos e amigos.

  17. Valorizar positivamente as partes íntimas do corpo da criança, de forma que o contacto nessas partes chame sua atenção para o fato de algo incomum e estranho estar acontecendo.

No site PsiqueWeb você poderá ler mais sobre o que fazer nesses casos, quais as seqüelas e como a criança deve ser ajudada.

Conheça:
WCF do Brasil:fundação criada pela Rainha Silvia da Suécia para promover e defender os direitos das crianças e adolescentes em situação de risco.

Ajude:
Lua Nova: ONG, situada em Araçoiaba da Serra (Sorocaba - SP), que atende a jovens mães e seus filhos em situação de vulnerabilidade social. Criada em 2000, é uma iniciativa não-governamental, onde são desenvolvidas e experimentadas diferentes técnicas e práticas de inserção social das jovens, incluindo ações de geração de renda, trabalho, redução de danos e desenvolvimento comunitário. Na lojinha, veja as lindas bonecas de pano produzidas pela Lua Nova, você pode adquirí-las e assim ajudar a instituição!

DENUNCIE
Disque 1oo

LinkWithin

Blog Widget by LinkWithin